sábado, 19 de outubro de 2013

Rabisc(ando)


um dia eu acordei
e o Otávio tinha ido embora.
tava doendo pra caralho
rasgo no peito
e todo o mais que só quem se apaixona sabe.
(foi pós-um-ano. sim, doeu)

aí eu resolvi seguir
porque o tempo não para né
o tempo vai indo
e levando a gente.

três semanas depois
conheci outro Otávio
bem diferente do primeiro
-porém, com dilemas semelhantes-

gostava do jeito que ele sorria
um jeito engraçadin
era sorriso que com toda certeza
tirava sorriso do outro

gostava da forma como ele me fez rir
gostava de pensar que dava pra preencher
o vazio que outro Otávio deixou.

a forma como ele me tocava
ou o jeito inóspito como nos conhecemos
ou horas horas horas de beijos
e corpo
e segurança
que foi chegando
de fininho

-em algumas semanas, eu já nem pensava mais no outro Otávio! Tava tudo tão bonito!-

Gostei dele.
Ele gostou de mim.

-e eu achava que isso ia bastar , pra ele não ir embora, que nem o primeiro Otávio.-

Nenhum comentário:

Postar um comentário